Vai juntar as escovas? Melhor pensar duas vezes pelo bem da sua saúde

É comum usarmos a expressão “juntar as escovas de dentes” quando duas pessoas vão morar na mesma casa. Mas, segundo médicos e dentistas, é melhor deixar essa ideia só na teoria mesmo.

As escovas são objetos pessoais e devem ser mantidos em locais secos e protegidos, para evitar contato com objetos contaminados, inclusive outras escovas. É o que explica o biomédico Roberto Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria:

Devemos evitar o contato com outras escovas, porque cada pessoa possui a sua própria microbiota [flora] bucal, que é transferida para a escova

Mas e beijar na boca?

No beijo na boca, há troca de fluidos e transmissão de bactérias –o que faz algumas pessoas pensarem que casais podem compartilhar escovas de dentes ou mesmo deixá-las juntas. Mas há também transmissão de doenças, como mononucleose e herpes, por exemplo.

O médico de família, Alfredo Salim Helito, do Hospital Sírio-Libanês, alerta:

Independentemente de haver contato íntimo, é preciso bom senso. A escova entra em contato com a flora bacteriana, que é diferente de um corpo para o outro, e tira elementos inapropriados dos dentes, coisas que um beijo não transmite

Entre as doenças que podem ser transmitidas estão cárie, gengivite, periodontite, diarreia, faringite, infecções de ouvido, problemas respiratórios e até mesmo doenças cardíacas.

Outra preocupação dos médicos é o local onde as escovas são guardadas.Por ficarem muito próximas ao vaso sanitário, elas podem receber coliformes fecais que vêm com os respingos da descarga.

“O banheiro é um local muito contaminado, recomenda-se que a escova fique o mais distante possível do vaso”, explica Helenice Biancalana, professora de ondontopediatria da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas:

As descargas liberam diferentes tipos de bactérias e coliformes fecais que podem atingir até 6 metros de altura e permanecer por horas circulando no ambiente

Segundos os especialistas, as melhores opções para guardar as escovas, depois que elas estão secas, são os armários com espaços individuais.

Mas é preciso ficar atento para que elas não tenham contato com outros objetos, como pentes e escovas de cabelo.

Como higienizar a escova

Ao finalizar a escovação, lave bem a escova com água corrente e remova totalmente os restos de alimentos e creme dental que podem ficar nos espaços entre as cerdas.

Remova essa água batendo de leve com o cabo, mas evite enxugar a escova em toalha ou papel. As escovas também podem ser lavadas com enxaguantes bucais.

Então, guarde a escova na vertical, com a cabeça para cima, em local preferencialmente ventilado, para prevenir formação de fungos que surgem com a umidade, explica Biancalana.

Nunca empreste!

A maioria dos estudos concorda que as escovas devem ser trocadas a cada três meses ou quando as cerdas deformarem, mas é importante lembrar que ela é individual e nunca deve ser compartilhada.

“O hábito de escovar os dentes deve ser único e individual, o local que você escolhe para guardar a escova também”, ressalta a professora Dagmar de Paula Queluz, da Faculdade de Odontologia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas).

Bia Souza

Do UOL, em São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *