Setenta adolescentes são apreendidos em ação contra tráfico e prostituição,no RS

A Brigada Militar, Polícia Civil, Força Nacional de Segurança, Corpo de Bombeiros e Ministério Público do Rio Grande do Sul realizaram uma operação conjunta na madrugada desta sexta-feira (16) para fiscalizar casas noturnas de Porto Alegre conhecidas como pontos de tráfico de drogas e prostituição, conforme afirmam as autoridades de segurança.

O local de atuação foi definido com base em denúncias recebidas pelo Ministério Público e levantamentos da Brigada Militar.

Políciais durante a fiscalização no Centro de Porto Alegre (Foto: Brigada Militar/Divulgação)
Policiais durante a fiscalização no Centro de Porto Alegre (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Na fiscalização, cerca de 70 adolescentes foram levados para a Delegacia para Criança e Adolescente (Deca). Três pessoas foram presas, sendo um foragido da Justiça foi preso, e outras duas por porte de drogas. Foram encontradas pequenas quantidades de maconha e cocaína.

“Eles estão estão na condição de vítimas porque estavam frerquentando locais onde existe o consumo de álcool e drogas, e foram levadas para a Delegacia da Criança e do Adolescente, para posterior liberação junto aos pais”, disse a delegada Patrícia Toloti, que acompanhou a operação.

A fiscalização foi realizada em duas casas noturnas localizadas na Rua Marechal Floriano Peixoto, no Centro da capital gaúcha. Os Bombeiros fiscalizaram as condições das saídas de emergência, dos extintores e avaliaram a superlotação.

Uma das boates foi fecaha por probelmas estruturais além de estar com 400 pessoas em um local com capacidade para apenas 161 clientes.

De acordo com o comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Marcus Vinicius Gonçalves Oliveira, a ação visa melhorar a segurança no Centro da cidade. “Na saída destes locais ocorrem diversos crimes. Neste ano, tivemos homicídios e tentativas de homicídio nestes locais. Grande parte dos assaltos nestes locais acontecem entre as 4h30 e 8h, e o público envolvido estava frequentando esses locais”, afirma.

No dia 19 de agosto, foi deflagrada uma operação semelhante em locais conhecidos como ‘inferninhos’ do Centro de Porto Alegre. Nove pessoas foram presas, além da apreensão de 85 adolescentes que estavam em casas noturnas que operavam com público acima da capacidade.

Inferno no Centro
No mês de julho o G1 publicou uma série de reportagens especiais sobre a situação provocada pelo funcionamento dos inferninhos no Centro da capital gaúcha. O Ministério Público fez um pedido à Justiça para que o horário de funcionamento destes estabelecimentos fosse reduzido, mas o pedido foi negado, por conta do entendimento que essa seria uma atribuição da prefeitura da capital.




A série de reportagens mostrou ainda as dificuldades enfrentadas pelos moradores, aconfusão verificada pelas ruas do Centro da cidade nas madrugadas, as liminares que permitem o funcionamento dos estabelecimentos, bem como a situação dentro das casas noturnas.

Casa noturna fechada pela falta de documentação (Foto: Paulo Ledur/RBS TV)
Casa noturna fechada pela falta de documentação (Foto: Paulo Ledur/RBS TV)
Do G1 RS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *