Senador Acir Gurgacz deixa sede da PF em Foz do Iguaçu e é levado a Brasília

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) deixou a sede da Polícia Federal (PF) em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, para seguir a Brasília por volta das 7h10 desta quarta-feira (17).

O parlamentar foi transferido para a capital federal para o cumprimento da pena de 4 anos e 6 meses, em regime semiaberto, por crimes contra o sistema financeiro.




De 10 de outubro até terça-feira (16), Gurgacz estava internado no Hospital São Lucas, em Cascavel, também no oeste. Ele passou mal antes de se entregar à PF para o cumprimento da sua pena.

O hospital em que o senador estava internado pertence à família dele. A instituição não divulgou boletins do estado de saúde do paciente.

A transferência do político para Brasília foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, no domingo (14).

Desde que foi hospitalizado, Gurgacz estava sendo escoltado pela polícia. Ainda no domingo, médicos impediram a transferência dele alegando que não tinha condições de deixar o hospital.




Na segunda-feira (15), médicas peritas da PF examinaram o parlamentar para indicar as condições de saúde dele.

O primeiro atestado médico do senador indicava a necessidade de três dias para avaliação do quadro clínico.

No sábado (13), Gurgacz teve um novo atestado para ficar mais 20 dias internado, devido a um quadro de depressão grave.

Na terça-feira, ele deixou o hospital de cadeira de rodas e foi levado para a sede da PF em Foz do Iguaçu.

O advogado do senador, Ramiro Dias, afirma que a “a defesa nunca tentou barrar” a saída dele do hospital. “O senador sempre colaborou com a autoridade policial e judicial”, afirmou.




Segundo ele, a defesa está aguardando a publicação de um acórdão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) “para enfim ter o segundo julgamento”

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) — Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) — Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Por Raphaela Potter, RPC Foz do Iguaçu