Saltadora leva acompanhante para o quarto e gera polêmica na Rio 2016

Os saltos nem tão sincronizados e a briga pública entre as saltadoras Ingrid Oliveira e Giovanna Pedroso são apenas uma parte da crise que abalou o Time Brasil no último fim de semana. A trama envolve um flerte na Vila Olímpica, barraco e a quase expulsão de Ingrid dos Jogos Olímpicos do Rio.

Tudo começou quando Ingrid “ficou” com outro atleta da delegação brasileira e o levou até o quarto que dividia com Giovanna. Ela foi convidada a se retirar e houve áspera discussão.

Giovanna abrigou-se em outro cômodo do apartamento e, no dia seguinte, relatou aos superiores que a parceira dormiu acompanhada. Houve uma tentativa inicial de minimizar o problema.

 –  A Ingrid é maior de idade, pode fazer o que quiser. Abafa o caso – sugeriu um dos primeiros dirigentes a tomar conhecimento do problema

Mas não deu. A história vazou, viralizou. Os grupos de Whatsapp ficaram frenéticos e o clima azedou para Ingrid. Atletas de rugby, ginástica e hóquei sobre a grama souberam do incidente e posicionaram-se ao lado de Giovanna.

A pressão aumentou e a crise chegou ao alto escalão do Comitê Olímpico do Brasil (COB). Cogitou-se uma medida drástica: o afastamento de Ingrid da delegação. Porém, para evitar o escândalo, optou-se por nova chance. Em nota oficial, o COB adotou um discurso genérico.

“O COB não fará comentários sobre eventuais casos do dia a dia da Missão brasileira no Rio 2016. Os problemas internos são resolvidos dentro da própria Missão, priorizando, sempre que possível, o caráter educativo antes do punitivo”.

Após a final da prova de plataforma de 10m sincronizada nesta terça, Ingrid respondeu da seguinte forma se considerava que Giovanna estava chateada com ela por causa do episódio na Vila.

Ingrid Oliveira e Andréia Boehme (Foto: Gustavo Rotstein)
Ingrid Oliveira e Andréia Boehme (Foto: Gustavo Rotstein)

–  Acho que não, porque nós já estávamos brigadas antes disso – disse.

A briga citada, de fato, aconteceu. No treino da manhã de 1º de agosto, no Parque do Maria Lenk, Ingrid, chorando, dirigiu-se à treinadora Andréia Boehme para reclamar. Tudo porque não houve entendimento com sua dupla sobre a ordem dos treinos.

Ingrid queria fazer mais treinos de sua série individual, enquanto Giovanna não abria mão de que elas trabalhassem a série sincronizada. A treinadora contemporizou e traçou para a atividade da tarde um programa de trabalho que agradasse as duas.

A relação conturbada das duas ficou insustentável com a confusão posterior. Chefe da delegação brasileira de saltos, Ricardo Moreira não se aprofundou quando perguntado se a escapulida de Ingrid na Vila agravou o conflito.

– Aí é problema fora de competição, não tenho nada para comentar sobre isso, não.

Ingrid volta na prova individual da plataforma, dia 17 de agosto. Giovanna encerrou sua participação nos Jogos.

Confira as respostas de Giovanna sobre a crise:
GloboEsporte.com: Ouvi que vocês estavam brigadas…
Giovanna: Quem falou isso?

Pode falar um pouco sobre isso?

Sempre acontece uma briga ou outra. Mas na hora da competição a gente deixou isso de lado e uma deu força para a outra. Na hora da competição, se a gente brigou ou não, isso ficou para fora.

Vão continuar saltando juntas?
Acho que sim. Isso tem que ver com nossos técnicos, né? Não tem como decidir nada agora nessas horas.

Sabemos que ocorreu um episódio na Vila Olímpica, que causou uma briga entre vocês. Ela levou um garoto para o quarto. O que ocorreu exatamente?
Foi isso. A gente tinha brigado antes por causa de uma coisa no treino. A gente brigou aqui, por uma coisa de fazer ordem de saltos, e só.

Do GloboEsporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *