Prefeitura pede que presos internados desocupem hospitais até a Rio 2016, no Rio

Secretários Pedro Junqueira, Luiz Antônio, Daniel Soranz durante lançamento do centro integrado de saúde das Olimpíadas (Foto: Fernanda Rouvenat/G1)

Secretários Pedro Junqueira, Luiz Antônio, Daniel Soranz durante lançamento do centro integrado de saúde das Olimpíadas (Foto: Fernanda Rouvenat/G1)

O secretário Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Daniel Soranz, afirmou na manhã desta terça-feira (12) que os pacientes custodiados que estão nas unidades públicas da cidade deverão desocupar os leitos até o início da Olimpíada. A afirmação foi feita durante o lançamento do Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS), no Centro do Rio.

GNEWS_FatFamily (Foto: GloboNews/Reprodução)
Nicolas foi resgatado do Souza Aguiar (Foto: GloboNews/Reprodução)

O debate em torno da questão da internação de presos em unidades de saúde pública se intensificou no Rio desde a fuga do traficante Nicolas Labre Pereira de Jesus, o Fat Family do Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio. Na ocasião, a invasão da unidade por vários homens fortemente armados deixou um morto e feridos. Depois do episódio, ficou acordado que seria construído um novo hospital penitenciário na Zona Oeste do Rio. Segundo o secretário, a Secretaria Estadual de Segurança Pública (Seseg) se comprometeu a fazer a remoção dos presos para as unidades penitenciárias.

“O número de pacientes internado na rede municipal, que é a principal rede de referência, já reduziu muito, acho que a gente já teve uma redução expressiva e os poucos que ainda estão presentes serão removidos ao longo das semanas. A proposta da Secfetaria de Segurança Pública é que isso fique zerado”, explicou o secretário Daniel Soranz.

“Essa questão dos custodiados é uma questão de operação diária nossa […]. Estamos propondo uma resolução conjunta pra que esses pacientes, imediatamente sendo atendidos nos hospitais públicos, não só na rede estadual, mas na rede municipal do Rio de Janeiro e de outros municípios, eles possam ser através de uma guia de  referência, eles possam ser imediatamente , se não for o caso de ficar internado em leitos de terapia intensiva, que possa ser removido pra nossa Unidade de Pronto Atendimento Penitenciário em Gericinó, assim como pro Hospital Penitenciário e aguarde até a data da sua cirurgia”, acrescentou o secretário estadual de saúde Luiz Antônio.

O secretário estadual de Saúde afirmou ainda que é necessário que se construa, ao longo dos próximos anos, dentro do Hospital Penitenciário, uma Unidade de Terapia Intensiva e um Centro Cirúrgico para que esses pacientes possam ser tratados integralmente nessa unidade. Luiz Antônio informou ainda que além da segurança feita pela Polícia Militar, os agentes das Forças Armadas também poderão reforçar a segurança, caso seja necessário, nos hospitais.

“Além de tudo que nós estamos fazendo para esvaziar essas unidades, durante as Olimpíadas, além de todas as forças de segurança que estão reforçando toda cidade do Rio de Janeiro, também reforçará os hospitais públicos”, completou Luiz Antônio.

Do Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *