Por meio de carta, mãe descobre que filha de 12 anos sofria abusos sexuais

Por meio de uma carta, a mãe de uma menina de 12 anos conseguiu descobrir que sua filha sofria violência sexual, ato cometido pelo esposo de sua irmã, um operário de 35 anos. O crime foi denunciado no início deste ano, em Panorama. De acordo com as informações do delegado responsável pelo caso, Eliandro Renato dos Santos, após a conclusão do inquérito, o autor foi preso nesta quarta-feira (3).

Segundo Santos, a carta da menina foi encontrada na casa onde ela reside. “A mãe localizou o papel com as informações sobre o que acontecia com a filha. Essa carta estava escondida e, após lê-la, a mulher pressionou a vítima, que acabou contando que era abusada”, informou ao G1.

Após saber sobre a violência à qual a criança era submetida, a mãe acionou a Polícia Militar. “Ela nos entregou a carta, a qual continha as informações de que, além dos atos libidinosos, ela também era obrigada a praticar sexo oral com o autor. Não houve conjunção carnal entre a vítima e o indiciado”, explicou o delegado.

Desde então, a vítima passa por acompanhamento psicológico para superar o trauma, conforme o Santos relatou ao G1 nesta quinta-feira (4). “O inquérito nesses tipos de casos costuma ser mais demorado, porque precisamos esclarecer as provas. Então, tivemos de aguardar o laudo de vários exames, além de ouvir testemunhas e o depoimento de psicólogas”, ressaltou.

O mandado de prisão preventiva foi expedido pelo Fórum de Panorama. “Nós fomos até a residência do acusado, nesta quarta-feira [3], porém, fomos informados pela esposa dele, que é tia da menina, de que o homem não estava no local. No entanto, o detivemos próximo ao escritório da advogada dele no caso”, pontuou o delegado.

Conforme Santos, ele não ofereceu resistência à prisão e foi conduzido à Penitenciária de Andradina (SP). “Se condenado, a pena para o crime de estupro de vulnerável varia de oito a 15 anos de reclusão”, concluiu o delegado ao G1.

Do Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *