OMS diz que não há relatos de zika em pessoas que foram à Rio 2016

Cariocas e visitantesposam para foto nos anéis olímpicos instalados na praia de Copacabana; nesta região há provas de ciclismo de rua, vôlei, maratona aquática e triatlo  (Foto: AP Photo/David Goldman)

Cariocas e visitantes posam para foto nos anéis olímpicos instalados na praia de Copacabana (Foto: AP Photo/David Goldman)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta sexta-feira (2) que não há relatos de sintomas de zika em pessoas que estiveram nos Jogos Olímpicos Rio 2016, em linha com a previsão de que a Olimpíada não levaria a um aumento significativo na transmissão do vírus.

O comitê de emergência da OMS reafirmou ainda o conselho dado anteriormente para que não haja restrições gerais de viagem e comércio para países em que há transmissão do vírus, incluindo o Brasil, que sediará os Jogos Paralímpicos neste mês.

A organização afirmou também que o vírus continua representante uma emergência de saúde internacional por conta da “contínua expansão geográfica e considerável vácuos no entendimento”, e pediu por maiores descobertas científicas e pesquisas sobre prevenção.

Em maio, um grupo de 150 cientistas de 28 países tinham pedido à OMS que a Olimpíada do Rio fosse adiada ou transferida para outro lugar. Eles afirmavam que a exposição de atletas e turistas ao vírus da zika poderia pôr em risco a saúde global.

Estudos posteriores, porém, apontavam para um número baixo de pessoas potencialmente expostas ao vírus durante o evento por causa da estação do ano, o inverno.

Da Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *