Obstrução intestinal faz com que Bolsonaro passe por cirurgia,em SP

O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, passou por uma cirurgia na noite desta terça-feira (12), segundo boletim médico do Hospital Albert Einsten, onde o candidato está internado desde sábado (8), após ser vítima de um atentado.




Segundo médicos, o procedimento terminou por volta das 23h40, foi bem-sucedido e o candidato passa bem.

De acordo com o boletim do hospital, Bolsonaro evoluiu para um quadro de “distensão abdominal progressiva e náuseas” e precisou passar por uma tomografia no abdômen. O exame identificou presença de aderência obstruindo o intestino delgado. Segundo o hospital, a solução do problema era cirúrgica.

Boletim médico sobre saúde de Bolsonaro — Foto: ReproduçãoBoletim médico sobre saúde de Bolsonaro — Foto: Reprodução

Boletim médico sobre saúde de Bolsonaro — Foto: Reprodução




De acordo com médicos especialistas, a aderência (ou a união de dois tecidos do corpo) ocorreu em decorrência da cicatrização interna em áreas que sofreram incisão cirúrgica, realizada após a facada. Além disso, a cirurgia também provocou uma inflamação no intestino e fístula nos pontos.

A aderência foi causada pela inflamação decorrente do trauma, e dificultou a passagem de alimentos pelo intestino.

Na cirurgia desta terça-feira, as fístulas foram suturadas e as aderências foram liberadas.

Pelo Twitter, o filho de Bolsonaro, Flavio Bolsonaro, se pronunciou sobre a nova cirurgia e disse que o estado de saúde dele ainda é grave.

Flavio Bolsonaro 177 Senador_RJ

@FlavioBolsonaro




Meu pai está fazendo uma nova cirurgia agora, peço que continuem as orações, o estado dele ainda é grave.

O presidente do PSL, Gustavo Bebiano, disse que Bolsonaro vinha sentindo muitas dores desde terça-feira à noite e chegou a vomitar.

“Infelizmente, o capitão passou a noite ontem muito mal, em função da alimentação via oral que foi reiniciada. Passou o dia muito mal hoje, muito enjoado, muitas dores no abdômen”, disse Bebiano.

Carlos Bolsonaro, filho do candidato, lamentou a necessidade de outra cirurgia e disse que provavelmente a alta, prevista para daqui a 7 ou 10 dias, terá que ser adiada.

Mais cedo, um boletim do hospital informava que Bolsonaro estava com “quadro clínico inalterado nas últimas 12 horas”.

Bolsonaro deixou a UTI do Albert Einstein na terça-feira (11) e foi transferido para uma unidade de cuidados semi-intensivos.




Ele sofreu um atentado na última quinta-feira (6) e foi atingido por uma facada durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG). Bolsonaro precisou passar por cirurgia após sofrer lesões nos intestinos delgado e grosso, e foi encaminhado para o Albert Einstein no dia seguinte.

Visita de ministro

Nesta quarta, o candidato recebeu a visita do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Sérgio Etchegoyen. Segundo a assessoria de Etchegoyen, o ministro veio a São Paulo na terça para uma agenda privada e decidiu ver o candidato nesta manhã.

O general não falou com a imprensa. A assessoria do GSI não informou o que foi conversado, mas afirmou que se tratou de uma visita de cortesia. O Palácio do Planalto, porém, confirmou que o ministro levou uma mensagem do presidente Michel Temer (MDB) desejando pronta recuperação.

Na manhã desta quarta, Bolsonaro participaria da série de entrevistas do G1 e da CBN com os presidenciáveis, mas, por causa da internação, ele não pôde comparecer ao estúdio da rádio em São Paulo.

Foto postada por filho de Jair Bolsonaro mostra candidato sentado em poltrona do Hospital Albert Einstein, em São Paulo — Foto: Reprodução/Twitter/Flavio Bolsonaro

Foto postada por filho de Jair Bolsonaro mostra candidato sentado em poltrona do Hospital Albert Einstein, em São Paulo — Foto: Reprodução/Twitter/Flavio Bolsonaro

Por G1