OAB pede suspensão de advogada suspeita de golpe em idosas no ES

Jéssica e Sandro foram presos após a neta das vítimas descobrir que eles aplicaram um golpe milionário na família (Foto: Arquivo Pessoal)

Jéssica e Sandro foram presos após a neta das vítimas descobrir que eles aplicaram um golpe milionário na família (Foto: Arquivo Pessoal)

A Ordem dos Advogados do Brasil Seção Espírito Santo (OAB-ES) pediu a suspensão preventiva da advogada Jéssica Torezani, 25 anos, suspeita de aplicar, junto com o noivo, um golpe milionário contra duas idosas, em Vila Velha. A defesa do casal é procurada pelo G1 desde o dia da prisão, mas ainda não foi encontrada.

O presidente da seccional Homero Mafra encaminhou ao Tribunal de Ética o pedido de suspensão preventiva da advogada.

O objetivo do afastamento é apurar uma eventual infração ética dela. No momento da prisão, a OAB-ES foi chamada para acompanhar a diligência como determina a lei. A Ordem informou que acompanhou a prisão para garantir as prerrogativas legais da advocacia.

O golpe
O jovem casal foi preso, na terça-feira (9), em Vila Velha, suspeito de aplicar um golpe milionário em duas idosas. A polícia diz que eles roubaram cerca de R$ 1 milhão enquanto faziam o inventário das viúvas, que eram mãe e filha.

A suspeita de 25 anos é advogada e o noivo dela Sandro Vescovi Mozer, de 31 anos, se dizia médico e estudante de direito. O casal estava com mandado de prisão decretado desde a semana passada. Os dois foram encaminhados ao presídio.

Ostentação
A polícia explicou que o casal costumava levar uma vida normal, mas que há cerca de um ano o padrão de vida foi crescendo. Tudo era ostentado nas redes sociais: carros de luxo, quadriciclos e até avião monomotor.

Avião monomotor que o casal ostentava, no Espírito Santo (Foto: Reprodução/Instagram)
Avião monomotor que o casal ostentava, no Espírito Santo (Foto: Reprodução/Instagram)

Esse padrão de vida começou a mudar em agosto de 2015, quando o casal foi indicado para resolver um problema das idosas. As vítimas, uma de 67 e outra de 87 anos, buscavam por serviços jurídicos para administrarem os inventários deixados por seu respectivos maridos.

Investigação
Eles começaram a ser investigados após denúncia. “Recebemos uma denúncia e começamos a monitorar as redes sociais deles. Percebemos que o padrão de vida era bem diferente de antes de eles conhecerem as idosas”, explicou a delegada Rhaiana Bremenkamp.

A delegada disse que o casal “se aproveitou das idosas e falsificou muitos documentos, inclusive procurações para sacar dinheiro e fazer imperativos”.

Na casa deles, em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha, a polícia encontrou documentos das vítimas e cartões de banco.

Na garagem, foram encontrados três carros de luxo importados, que, segundo a polícia, foram comprados com dinheiro roubado.

As investigações também apontam que o casal comprou um haras em Minas Gerais depois que começou a aplicar o golpe nas idosas.

“Eles conseguiram tirar R$ 1 milhão de apenas uma conta, mas a gente acredita que o prejuízo seja bem maior porque são seis contas envolvidas”, explicou a delegada.

O casal estava com mandado de prisão decretado desde a semana passada. Eles foram encaminhado ao presídio de Viana. As investigações continuam na Delegacia de Defraudações.

Carros de luxo encontrados pela polícia na garagem do casal, em Vila Velha, Espírito Santo (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Carros de luxo encontrados pela polícia na garagem do casal, em Vila Velha (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Do G1 ES
Com informações de A Gazeta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *