Nesta quinta-feira(13) se comemora o Dia Mundial do Rock

Mesmo que seja comemorado apenas no Brasil nesta quinta-feira (13), o Dia Mundial do Rock serve para lembrar grandes histórias do tema e, claro, levantar questões suscetíveis a brigas no bar e até a término de relacionamentos. Afinal, qual seria escalação da sua “banda dos sonhos”?

A lista de músicos é longa — e totalmente subjetiva –, então vamos com muita calma. O UOL selecionou o grupo “perfeito” a partir da escolha dos redatores da equipe. Nomes foram discutidos em alto e bom som, muitas cadeiras voaram pela redação e algumas amizades ficaram estremecidas.

Quer conhecer inúmeras novidades e ajudar o nosso site? Clique no nosso banner de publicidade abaixo




Mas vamos lá, veja abaixo o vocalista, guitarrista, baixista, baterista e tecladista que montariam a “banda dos sonhos”.

Vocal – Paul Rodgers

imagem: Divulgação

O inglês Paul Bernard Rodgers ganhou destaque primeiro como vocalista do Free, quando lançou seis álbuns de estúdio ao lado do genial guitarrista Paul Kossoff. Com “All Right Now” como principal hit da banda, algumas pérolas, infelizmente, acabam ficando esquecidas, caso das poderosas “Woman” e “The Hunter”. Já na década de 1970, Rodgers criou o Bad Company, com uma pegada semelhante ao da sua banda anterior, e ganhou mais destaque comercial. “Can’t Get Enought”, “Rock Steady” e “Feel Like Making Love” foram para as paradas e ajudaram a popularizar o grupo. A voz rouca, potente e o característico movimento com o pedestal do microfone transformam Paul Rodgers na figura icônica do rockstar.

Baixo – Geezer Butler

imagem: Divulgação

Um dos músicos mais influentes do rock e do metal, o ex-baixista do Black Sabbath já mostrou a que veio no ano de 1970, quando o primeiro álbum da banda de Birmingham, na Inglaterra, foi lançado. A icônica faixa “N.I.B” tinha como introdução um baixo jazzístico pesado que logo viria a ser encoberto pela guitarra revolucionária de Tony Iommi. Geezer tem a majestade de ser um dos “pais” do metal, mas também nunca abandonou a fúria destilada no instrumento de quatro cordas. Basta ouvir — sempre que puder — a merecida “Into The Void”.

Guitarra – Jimmy Page

imagem: Reprodução

Quer conhecer inúmeras novidades e ajudar o nosso site? Clique no nosso banner de publicidade abaixo




À frente do Led Zeppelin, o músico criou um legado insubstituível. Cada nota de sua Les Paul soava rock n’ roll, seja em acordes complexos ou seguindo uma pentatônica simples. E mesmo quando está usando violão ou o até bandolim, o inglês era preciso. Duvida? Ouça “Black Dog” e depois “Ramble On”. Junto com Robert Plant, John Bonham e John Paul Jones — que poderiam facilmente integrar a “banda dos sonhos” de qualquer um –, Page lançou nove discos de estúdio e outras tantas pérolas ao vivo. Com David Coverdale, do Whitesnake, o guitarrista ainda lançou a parceria “Coverdale/Page”, em 1993.

Bateria – Ginger Baker

imagem: Divulgação

“Toad”. Essa é a resposta para Ginger Baker entrar para a lista. O disco de estreia do Cream, que ainda tinha Eric Clapton e Jack Bruce, termina com esse embasbacante tema instrumental de cinco minutos que mostra o talento do músico inglês de temperamento explosivo. Influenciado pelos bateristas de jazz da década de 50 e 60, como Jo Jones e Buddy Rich, Baker serviu de inspiração para diversos instrumentistas, tanto pela técnica quanto pela utilização de diversos ritmos africanos, absorvidos no tempo que viveu na Nigéria na década de 70.

Teclado – Jon Lord

imagem: Divulgação

Quer conhecer inúmeras novidades e ajudar o nosso site? Clique no nosso banner de publicidade abaixo




Seja no Deep Purple, no Whiteskane ou no power trio Paice, Ashton & Lord, o tecladista marcou o rock com passagens que uniram a música erudita, o rock e o R&B. Os acordes introdutórios de vários hits da banda liderada pelo parceiro Coverdale já tinham sido trabalhados no Deep Purple. As épicas “Burn” e “Child in Time”, mesmo lançadas com diferentes formações da banda liderada pelo guitarrista Ritchie Blackmore, levam o andamento ora eletrizante ora cadenciado do mestre.

E aí, concorda com as escolhas? Críticas, sugestões? Fale qual é a sua “banda dos sonhos” abaixo e não esqueça de comemorar o Dia Mundial do Rock.

Do Música UOL