Mulher morta em ataque em Londres era americana, diz universidade

Policiais em alerta após homem esfaquear pessoas em Russell Square (Foto: Neil Hall / Reuters)

Policiais em alerta após homem esfaquear pessoas em Russell Square (Foto: Neil Hall / Reuters)

A mulher morta em um ataque a faca na noite de quarta-feira (3) era americana e casada com um professor de psicologia da Universidade do Estado da Flórida (FSU, na sigla em inglês), afirmou nesta quinta-feira (4) a própria universidade, em um comunicado, segundo a agência de notícias Reuters.

O marido dela é Richard Wagner, um eminente professor da instituição. No comunicado divulgado, a FSU não informou o nome ou a idade da esposa do professor. A polícia londrina informou que a vítima tinha cerca de 60 anos.

Segundo a Reuters, Wagner e a esposa estavam em Londres porque ele dava aulas lá no verão, por meio do Programa de Estudos de Londres da FSU.

Prefeito pede calma
O prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, pediu nesta quinta-feira (4) para que a população mantenha a calma e que fique em alerta, enquanto as autoridade investigam o ataque com faca da noite de quarta (3), que deixou uma mulher morta e cinco feridos.

Khan expressou solidariedade “para as vítimas do incidente em Russell Square e seus entes queridos”, e ressaltou que a segurança dos londrinos é sua “prioridade número um”.

“Falei com o comissário e com o subcomissário, que me asseguram que nossos policiais estão trabalhando muito duro para descobrir exatamente que aconteceu e manter a população em segurança”, disse. “Um homem foi preso na cena do crime. A polícia falou com ele e agora tenta descobrir todos os fatos e motivos do ataque”, acrescentou. “Peço a todos os londrinos que mantenham a calma e permaneçam em alerta. Por favor, denunciem qualquer fato suspeito. Todos temos um papel importante a desempenhar como olhos e ouvidos da polícia e dos serviços de segurança, para ajudar a proteger a cidade de Londres”, emendou.

Entenda o ataque
Uma mulher de aproximadamente 60 anos morreu e outras duas mulheres e três homens ficaram feridos ao serem esfaquado por um homem de 19 anos perto do Museu Britânico.

O suspeito foi detido depois que a polícia o atingiu com uma pistola elétrica.

O rapaz está sendo interrogado no hospital para onde foi levado ao ser preso, enquanto em Londres teve um aumento na segurança, com helicópteros sobrevoando a cidade. A área onde aconteceu o ataque permanece isolada.

Embora não se descarta que o ataque esteja relacionado com o terrorismo, o comissário-adjunto de operações especiais da polícia londrina, Mark Rowley, assegurou que a “saúde mental” do suspeito é a “principal linha de investigação” sobre os agentes estão trabalhando.

Rowley revelou que a investigação está com a unidade de homicídios, apesar de receber apoio da equipe antiterrorista.

Da EFE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *