MP pede reabertura de investigações sobre assassinato de MC Daleste, em SP

Amigo de MC Daleste fez imagens da plateia da área de onde o tiro que matou funkeiro teria saído (Foto: Reprodução / TV Globo)

Amigo de MC Daleste fez imagens da plateia da área de onde o tiro que matou funkeiro teria saído (Foto: Reprodução / TV Globo)

O Ministério Público de São Paulo pediu a reabertura das investigações do assassinato do cantor MC Daleste, baleado em Campinas (SP) quando fazia um show no bairro San Martin, em julho de 2013. O pedido foi feito pelo promotor Ricardo Silvares, de Campinas, e teria relação com o surgimento de gravações de conversas entre integrantes da banda.

O pedido de reabertura foi confirmado pelo MP, mas ainda não foram divulgados os detalhes das novas provas. As conversas seriam sobre um possível motivo passional para a morte de Daleste, que seria de conhecimento de pessoas da equipe do cantor.

Investigações haviam sido encerradas
Em junho deste ano, as investigações sobre o assassinato do músico Daniel Pedreira Sena Pelegrine, o MC Daleste, foram encerradas pela Polícia Civil sem conclusões sobre a autoria e motivação do crime.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública do estado (SSP) confirmou que o inquérito foi relatado à Justiça, em dezembro de 2015, pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Antes disso, o caso também era tratado sob sigilo.

Cartaz afixado em grade no CDHU no bairro San Martin, em Campinas (Foto: Marcello Carvalho/G1)
Cartaz afixado em grade no CDHU no bairro San Martin, em Campinas (Foto: Marcello Carvalho/G1)

Esforços
O Setor de Comunicação do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior 2 (Deinter 2) alegou no mês de julho que a polícia fez todas as “diligências que estavam ao alcance“, incluindo a visualização dos vídeos disponíveis. “Não obstante, não foi possível, naquele momento, chegar ao esclarecimento do delito“, informa texto da assessoria.

Em 2013, o delegado que presidia o inquérito, Rui Pegolo, disse à reportagem que a corporação havia recebido 100 denúncias nos cinco dias posteriores ao crime, sem indicação de suspeitos.

Uma reconstituição simulada sobre o assassinato também foi realizada por peritos do Instituto de Criminalística (IC). Na ocasião, eles concluíram que os disparos foram feitos a 40 metros de distância do palco onde estava o cantor de 20 anos, e teriam partido de área ao lado de uma casa à época em construção – perto de um matagal por onde o suposto criminoso deve ter fugido do local.

Reconstituição da morte do MC Daleste (Foto: Alessandro Torres/SigmaPress/Estadão Conteúdo)
Reconstituição da morte do MC Daleste (Foto: Alessandro Torres / SigmaPress / Estadão Conteúdo)

Arquivado
O Tribunal de Justiça do estado (TJ-SP) informou que os autos, a pedido do Ministério Público, foram arquivados pela 1ª Vara Criminal de Campinas em abril deste ano. Eles permaneciam assim até que, eventualmente, “novas provas sejam apresentadas ou ocorra a prescrição“. A assessoria de imprensa do MP confirmou que o pedido de arquivamento foi feito em fevereiro.

O crime
Daleste foi atingido por dois tiros, um de raspão na área da axila direita e outro que entrou pelo lado esquerdo do corpo e atingiu estômago, fígado e pulmão. Ele se apresentava para aproximadamente três mil espectadores durante show no San Martin, em Campinas.

O músico chegou a ser socorrido ainda consciente pelos próprios amigos, entretanto, não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital Municipal de Paulínia (SP). Daleste morreu após ter anemia aguda causada pela perda de sangue, de acordo com laudo do Instituto Médico Legal (IML).

Brincadeira com foto
O produtor que contratou o funkeiro para o show em Campinas, Rogério Rodrigues de Oliveira contou à polícia que o cantor pediu para ser fotografado no carro, quando era levado ao hospital. Segundo ele, Daniel Pelegrine esperava se recuperar dos ferimentos e “brincar” com o fato de levar um tiro e resistir.

Funk ostentação
Ao lado de MC Léo e MC Gui, o jovem paulistano ajudou a popularizar o subgênero conhecido como funk ostentação e ganhou fama a partir de hits como “Gosto mais do que lasanha” e “Mais amor, menos recalque“. Uma fanpage do cantor no Facebook é seguida por 346 mil internautas.

Funkeiro MC Daleste é morto durante show no Parque San Martin em Campinas (Foto: Divulgação / Facebook do artista)
MC Daleste foi morto durante show no San Martin, em Campinas  (Foto: Divulgação / Facebook do cantor)
Do G1 Campinas e Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *