Mais de 30 pacientes passam mal durante hemodiálise em clínica de GO

Trinta e seis pacientes passaram mal, ao mesmo tempo, enquanto faziam hemodiálise na Nefroclínica, localizada no Setor Jardim América, em Goiânia. A Vigilância Sanitária e a direção da unidade de saúde apuram o motivo do problema. O atendimento na unidade está suspenso.

A hemodiálise é um procedimento que filtra e limpa o sangue de pessoas com problemas nos rins. O surto aconteceu no último dia 5 de julho. Seis pacientes continuam internados, até a tarde desta segunda-feira (11), em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de unidades de saúde da capital.

Os demais pacientes já receberam alta e são acompanhados por equipes médicas.
Uma das pessoas que segue hospitalizada é Denísia Reis, de 72 anos. Filha da idosa, Ediene Xavier da Silva suspeita que a mãe foi contaminada por uma bactéria.

“Meu irmão levou ela boa para fazer hemodiálise e, quando foi pegar, ela já não estava boa, chegando em casa, ela pegou uma febre de quase 40°C. Na quarta feira, meu irmão me ligou falando que ela estava muito ruim. Foi onde nos a levamos para o hospital e ela foi diretamente para o oxigênio. O estado dela é ainda grave”, disse Ediene.

A Vigilância Sanitária, a Saneamento de Goiás S/A (Saneago) e a empresa que faz o tratamento particular da água da clínica foram acionadas para investigar o caso. São analisadas amostras de água e de produtos usados na hemodiálise.

A Saneago informou que já analisou a água fornecida para a clínica no dia do surto e não constatou problema. Mesmo assim, a companhia faz novo teste como contra prova.

De acordo com a direção da clínica, nenhuma suspeita está descartada. Os pacientes que precisam de hemodiálise foram remanejados para outras unidades de saúde da capital.

O atendimento só será retomado quando os exames clínicos e laboratoriais e de controle de qualidade estiverem de acordo com as normas legais.

“A gente achou por bem suspender o tratamento da hemodiálise por um tempo. A própria Vigilância Sanitária nos sugeriu isso que a gente suspendesse todos os processos que estão sendo feitos aqui até que a gente tenha uma segurança máxima de tratamento para que retorne ao habitual”, declarou a diretora da clínica, Alessandra Naghettini.

Pacientes passaram mal durante hemodiálise em clínica de Goiânia, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
Pacientes passaram mal durante hemodiálise em clínica de Goiânia (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)
Saúde diz que infecção atingiu clínica
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Vigilância Sanitária, informou nesta segunda-feira (11) que um surto infeccioso atingiu a Nefroclínica onde 36 pacientes passaram mal, ao mesmo tempo, durante uma sessão de hemodiálise, em Goiânia. Um deles morreu, e a família suspeita que a contaminação no local tenha provocado o óbito. O atendimento na unidade está suspenso.

Ainda de acordo com o comunicado da SMS, a suspeita é que a infecção tenha sido causada por bactérias. Os pacientes tiveram problemas no último dia 5 de julho. Seis deles continuam internados em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de unidades de saúde da capital. Os demais pacientes já receberam alta e são acompanhados por equipes médicas.

O idoso Fructuoso Ribeiro Rosa, de 84 anos, no entanto, não teve a mesma sorte e acabou morrendo um dia após passar pelas sessões no local. A esposa dele, Auta Soares Rosa, disse que ele passou muito mal enquanto fazia a hemodiálise, procedimento que filtra e limpa o sangue de pessoas com problemas nos rins.

“Eu falei: ‘doutora, o que está acontecendo com ele?’ Ele não para de tremer, [está] com as pernas duras e gritando de dor. Todo mundo [passando mal] de uma vez, daquele jeito, eu nunca tinha visto. Espero que os outros se recuperem e volte porque isso é muito triste”, lembra, emocionada.

Filho do idoso, Eder Soares Rosa diz que o pai piorou a situação clínica de um dia para o outro. “Ele deu entrada por volta de 1h da manhã, mais ou menos. No outro dia cedo, o médico já nos chamou dizendo do quadro que era gravíssimo. O que estava sendo feito era o que estava ao alcance deles, mas o quadro era grave”, pondera.

Saúde diz que infecção atingiu clínica de hemodiálise onde 36 passaram mal em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Fructuoso morreu um dia após hemodiálise na clínica (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Análises
A Vigilância Sanitária, a Saneamento de Goiás S/A (Saneago) e a empresa que faz o tratamento particular da água da clínica foram acionadas para investigar o caso. São analisadas amostras de água e de produtos usados na hemodiálise.

A Saneago informou que já analisou a água fornecida para a clínica no dia do surto e não constatou problema. Mesmo assim, a companhia faz novo teste como contra prova.

De acordo com a direção da clínica, nenhuma suspeita está descartada. Os pacientes que precisam de hemodiálise foram remanejados para outras unidades de saúde da capital.

O atendimento só será retomado quando os exames clínicos e laboratoriais e de controle de qualidade estiverem de acordo com as normas legais.

“A gente achou por bem suspender o tratamento da hemodiálise por um tempo. A própria Vigilância Sanitária nos sugeriu isso que a gente suspendesse todos os processos que estão sendo feitos aqui até que a gente tenha uma segurança máxima de tratamento para que retorne ao habitual”, declarou a diretora da clínica, Alessandra Naghettini.

Saúde diz que infecção atingiu clínica de hemodiálise onde 36 passaram mal em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Saúde diz que infecção atingiu clínica de hemodiálise em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Do Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *