Hospital particular não atende homem que passou mal a 60 m, por falta de encaminhamento

Um homem que passou mal em uma praça, a menos de 60 metros da Santa Casa de Franca(SP), teve o atendimento recusado pelo hospital no último sábado (16) e precisou esperar a chegada do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) para ser socorrido.

A espera pelo atendimento médico causou indignação em pedestres e comerciantes que estavam no local e tentaram socorrer o homem. Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra a recusa do hospital e os moradores acusam a Santa Casa de omissão de socorro.

Em nota, a unidade hospitalar informou que atende apenas pacientes encaminhados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e que não presta atendimento de porta aberta à população. O homem foi levado para o Pronto-Socorro e recebeu alta no final da noite de sábado.

Homem estava a 60 metros da Santa Casa de Franca, SP (Foto: Reprodução/EPTV)
Homem estava a 60 metros da Santa Casa de Franca, SP (Foto: Reprodução/EPTV)

Tentativa de socorro
No vídeo, o homem aparece caído no chão, aparentemente desmaiado, com muitas pessoas em volta, tentando ajudar. O comerciante Marcos Aurélio estava trabalhando quando percebeu a movimentação na Praça Dom Pedro II, no Centro de Franca.

“Estava desmaiado, sangrando pela boca e o pessoal preocupado”, disse o vendedor, que não entendeu porque o hospital se recusou a atender o paciente. “Estava aproximadamente a uns 50 metros, 60 metros longe da Santa Casa, a gente quer uma explicação”, afirmou.

O momento também foi gravado pelo atendente de restaurante Rafael de Morais, que tentou buscar ajuda para o homem. “Eu fiquei bem desesperado, falei de uma suposta convulsão, e eles falaram que não podiam fazer nada, que tinha que chamar a ambulância”, comentou.

Homem que passava mal teve o atendimento recusado na Santa Casa de Franca, SP (Foto: Reprodução/EPTV)
Homem que passava mal teve o atendimento recusado na Santa Casa de Franca, SP (Foto: Reprodução/EPTV)

Espera
Após a recusa, os moradores acionaram o Samu pelo telefone e a equipe de resgate levou cerca de 20 minutos para chegar ao local. “A gente teve que aguardar, sendo que se carregar a pessoa, levar ele, seria socorrido em menos de dois minutos”, disse o taxista Jair de Faria.

Segundo as testemunhas, da tentativa de socorro na Santa Casa até a chegada do resgate passaram 40 minutos. “A gente fica triste em saber que as coisas não funcionam como a gente gostaria que fosse”, afirmou o taxista.

“É um absurdo um hospital público negar o socorro em uma situação grave, deveriam pelo menos mandar um enfermeiro, alguém para ver o que estava acontecendo, com sangue saindo pela boca”, comentou Morais.

Paciente
O homem, que não foi identificado, foi socorrido e levado pelo Samu para o Pronto-Socorro. Segundo a Santa Casa de Franca, o paciente recebeu alta na noite do mesmo dia e não precisou ser encaminhado para o hospital.

Questionada sobre a acusação de omissão de socorro, a Santa Casa informou que atende apenas pacientes encaminhados pelo Sistema Único de Saúde e que não presta atendimento de porta aberta à população.

“Cumpre esclarecer que a responsabilidade pelo atendimento pré-hospitalar móvel na área de urgência e emergência não é da Santa Casa de Franca, que inclusive não possui equipe para acolhimento dessa natureza”, afirmou em nota.

Homem passou mal em praça, a 60 m da Santa Casa de Franca, SP, mas não pode ser atendido (Foto: Reprodução/EPTV)
Homem passou mal em praça, mas não pode ser atendido na Santa Casa (Foto: Reprodução/EPTV)
Do Portal G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *