Helicóptero cai e mata 05 pessoas a bordo, em Mogi das Cruzes,SP

Um helicóptero de grande porte caiu em uma área de mata no distrito de Quatinga, em Mogi das Cruzes, no começo da noite deste sábado (3), e deixou 05 mortos. Os corpos foram retirados do local no domingo (4). As vítimas foram: Natália de Avila Treu, de 42 anos; a mãe dela, Iracema de Ávila, de 73 anos; a filha de Natália, Lavínia de Ávila Araújo de 12 anos, a amiga de Lavínia, Larissa Ribeiro Fernandes, de 14 anos, e o piloto da aeronave Marcos Chindi Minomo, de 54 anos. A amiga de Lavínia, Larissa, foi identificada pelo Instituto Médico Legal (IML) de São Paulo nesta segunda-feira (5). A adolescente tinha viajado com a família da amiga para Juquehy, no litoral norte paulista. A aeronave tinha um heliponto em Osasco como destino.

Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP), os corpos foram levados para o Núcleo de Antropologia, onde foram feitos exames odontológicos para confirmar a identificação. Os corpos já foram liberados aos familiares.




Vítimas identificadas que estavam em helicóptero: Marcos Minomo, Iracema Ávila, Natalia Ávila e Lavínia Ávila — Foto: Willian Tanida/TV Diário

Vítimas identificadas que estavam em helicóptero: Marcos Minomo, Iracema Ávila, Natalia Ávila e Lavínia Ávila — Foto: Willian Tanida/TV Diário

O pai de Larissa, última vítima identificada, esteve no local da queda uma área de mata fechada no Distrito de Quatinga no domingo. Larissa e Lavínia eram amigas.

Wilson Fernandes contou que viu a filha pela última vez na quinta-feira (1º), quando a levou até a casa de Lavínia. “Entreguei a bolsa, entreguei a minha filha, deixei lá. Ela disse ‘não se preocupa está em boas mãos’ e dei uma beijo na minha filha e até logo”, contou.

Polícia, Bomberiros e investigadores do Cenipa estiveram no local do acidente no domingo — Foto: Willian Tanida/TV Diário

Polícia, Bomberiros e investigadores do Cenipa estiveram no local do acidente no domingo — Foto: Willian Tanida/TV Diário

No sábado o Corpo de Bombeiros esteve no local logo depois do acidente e localizou três corpos.

No domingo, os bombeiros voltaram ao local e acompanhados por investigadores do Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) encontraram mais dois corpos, totalizando cinco vítimas.

A caixa-preta da aeronave, de matrícula PP-MTX, também foi localizada.O Cenipa fez uma perícia na área e coletou dados, fotografou cenas, retirou partes da aeronave para análise, reuniu documentos e ouviu relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos.

O órgão informou ainda que a conclusão de qualquer investigação terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente.

“A investigação da Aeronáutica é dividida em três áreas: coleta de informações e dados, análise e produção de relatório. Pretendemos identificar fatores contribuintes que levaram ao acidente para fazer recomendações de voo para prevenção do acidente. Retiramos a caixa preta e providenciamento da remoção dos destroços para análise. Sabemos que a aeronave era um helicóptero Agusta que decolou ontem do heliporto de Juquehy por volta de 18h40 com destino a heliporto de Osasco. Eram 5 passageiros e não houve sobreviventes”, explicou o tenente Marcos Mazzeo, do Cenipa.

Acidente

Na noite de sábado, o Corpo de Bombeiros recebeu o chamado da ocorrência por volta das 19h20. O helicóptero de grande porte caiu em uma área de mata no distrito de Quatinga. Dezenove agentes trabalharam na operação na área de mata de difícil acesso próximo a Estrada Bento Moraes de Campos.

Helicóptero cai no distrito de Quatinga em Mogi das Cruzes. — Foto: Alexandre Mauro/G1

Helicóptero cai no distrito de Quatinga em Mogi das Cruzes. — Foto: Alexandre Mauro/G1

“Instantes antes do acidente teve uma forte ventania. A aeronave está completamente destruída. Quando a equipe chegou, a aeronave estava incendiando. Localizamos as vítimas, porém sem vidas”, disse Patrícia Alves, capitã dos Bombeiros.

Por Natan Lira, G1 Mogi das Cruzes e Suzano