Empresário suspeito de estuprar menina é indiciado, em SC

O empresário de Criciúma, no Sul do estado, suspeito de estuprar uma menina de 11 anos foi indiciado e segue preso. Ele foi interrogado nesta sexta-feira (19), mas preferiu ficar em silêncio. O homem ainda é investigado por suspeita de estuprar outras três vítimas, uma delas de 9 anos, como mostrou o RBS Notícias.

O crime ocorreu no dia 11 de agosto em Cocal do Sul, cidade vizinha a Criciúma. Ele estava de carro e parou para pedir informações à vítima. Em seguida, a puxou para dentro do veículo e a levou para outro local, onde houve o estupro, segundo a polícia.

Mesmo sem a confissão do suspeito, os policiais consideraram ter provas suficientes. O empresário foi indiciado por estupro de vulnerável, sequestro e porte ilegal de arma, usada para ameaçar a vítima. O nome do homem não foi divulgado para preservar a menina.

Flagrado por câmeras
Foi por causa de imagens de monitoramento que a polícia conseguiu identificar o suspeito. Em Cocal do Sul, são 32 câmeras de segurança. Uma delas flagrou o carro passando já com a menina no banco do passageiro.

“É uma prova contundente de que ele esteve na cidade de Cocal e que ele esteve na rua onde a vítima foi apanhada”, afirmou o delegado Marcelo Viana.

Outros três crimes semelhantes são investigados. Os policiais tentam recuperar imagens de outras vítimas que possam estar no celular e no computador do empresário. Uma delas tem apenas 9 anos, conforme a polícia.

“A gente está investigando agora a ligação de todos esses crimes que aconteceram e, de repente, até uma possibilidade de ter algum tipo de rede de pedofilia envolvida nesse crime”, afirmou o investigador Evandro Carlos Rodrigues.

‘Ainda é pouco ele estar lá só preso’
A tia da vítima conversou com a RBS TV sobre a dor da família, que não se conforma com o que aconteceu. Ela contou à reportagem sobre a reação da menina após o crime.

“Chegou desesperada, correndo para todo o lado, dizendo que ele ameaçou que se ela contasse para nós ia ameaçar ela de morte. Que se ela contasse para alguém ia voltar para matar ela. Aí foi o desespero maior dela”, relatou a tia.

O suspeito foi preso no dia seguinte. “Tirar toda a dor, toda a mágoa, não tira. Mas é uma forma de justiça e ainda é pouco ele estar lá só preso”, disse a tia.

Do G1 SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *