Brasileiros se dividem sobre professores terem liberdade política em sala de aula, diz pesquisa

As pessoas que responderam ao questionário da Sintonia Eleitoral se dividem quanto à liberdade para professores ensinarem diferentes perspectivas políticas em sala de aula.

É o que revela uma pesquisa realizada a partir das respostas dos leitores do G1 à Sintonia Eleitoral (veja ao final desta reportagem a metodologia da pesquisa). A ferramenta, uma parceria entre a empresa canadense Vox Pop Labs e o G1, permite identificar qual presidenciável é mais alinhado às ideias do eleitor.




Ao responder ao Sintonia Eleitoral, o leitor dizia o quanto concordava com 30 afirmações e, a partir dessas respostas, a ferramenta indicava em que ponto do espectro ideológico o leitor estava e como ele se situava em relação aos candidatos. Mais de 1 milhão de pessoas responderam ao questionário.

Ao longo desta semana, o G1 publicará os detalhamentos de todas as 30 perguntas.

Veja os gráficos:

Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula - geral — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula – geral — Foto: G1




Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula - por gênero — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula – por gênero — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula - por escolaridade — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula – por escolaridade — Foto: G1




Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula - por intenção de voto — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas na sala de aula – por intenção de voto — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas em sala de aula - Vox Pop Labs — Foto: G1

Ensino de diferentes perspectivas políticas em sala de aula – Vox Pop Labs — Foto: G1

Metodologia

Desenvolvida por uma equipe de cientistas sociais e estatísticos da Vox Pop Labs, a Sintonia Eleitoral é uma ferramenta de engajamento cívico oferecida no Brasil exclusivamente pelo G1. Os resultados são baseados em 496.038 respostas da Sintonia Eleitoral entre 21 de setembro e 29 de outubro. A ferramenta tinha, até esta terça, 1,139 milhão de testes realizados.




Diferentemente de pesquisas de opinião online, os respondentes da Sintonia Eleitoral não são pré-selecionados. Tal qual as pesquisas de opinião, porém, os dados são uma amostra não aleatória da população e foram ponderados para se aproximar de uma amostra representativa da população. Os dados da Sintonia Eleitoral foram ponderados por gênero, idade, educação e região para assegurar uma composição da amostra que reflita a atual população do Brasil de acordo com os dados do Censo e outras estimativas populacionais.

Por G1