Bancária flagrada fazendo sexo com menino de 13 anos, sai da prisão

A bancária de 46 anos que foi flagrada fazendo sexo com um menino de 13 anos em um carro de luxo, no Espírito Santo, não está mais presa. A informação é da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). Ela saiu da Penitenciária Feminina de Cariacica no dia 1º de março, após conseguir um alvará.




O estupro aconteceu na início da noite do dia 17 de fevereiro. O menino era um guardador de carros e não conhecia a mulher, que é separada e tem uma filha universitária. A bancária levou o menino para o Morro do Moreno, em Vila Velha, e um policial militar percebeu a situação. Ela foi presa em flagrante, mas não tinha confirmado o fato até então.

No mesmo dia que foi solta, durante a manhã, a bancária esteve na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), em Vitória, e na ocasião confessou o crime.

Na ocasião, o delegado titular Lorenzo Pazolini explicou que aquele era um segundo momento de depoimento da mulher, pois no primeiro ela se recusou a falar.

“Ela contou tudo. Contou que ingeriu bebida alcoólica, que realmente aconteceu, que ela estava arrependida. Não sei até que nível ela refletiu, mas ela demonstrou um certo arrependimento”, disse Pazolini no dia 1º de março.

A mulher foi indiciada por estupro de vulnerável, com pena de 8 a 15 anos de reclusão. O delegado explicou que o fato de ter confessado pode ser um atenuante à pena.




Abordagem da polícia no Morro do Moreno (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Abordagem da polícia no Morro do Moreno (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Caso

No dia 17 de fevereiro de 2018, a mulher disse que chamou o menino, que é guardador de carro, para “namorar”, segundo a polícia. Ele estava em um estacionamento, na praia, quando foi abordado. O garoto estava acompanhado de uma menina, que também foi convidada pela bancária para sair, mas recusou.

Em seguida, o menino e a bancária foram para o Morro do Moreno, em Vila Velha. O local tem videomonitoramento e a movimentação suspeita chamou atenção da polícia.

O soldado Everaldo Arvatti fez o flagrante após observar o videomonitoramento. “O carro parou no Morro do Moreno e ninguém saltou. Como o local tem histórico de latrocínios, fui lá ver. Quando cheguei, os dois estavam nus dentro do carro. O menino começou a chorar. A senhora alegou que estava errada e que iria pagar pelos erros dela”, disse o policial.




Na ocasião, a bancária prestou depoimento na delegacia de Cobilândia e foi levada para a Penitenciária Feminina de Cariacica. O menino passou por exame de corpo de delito e foi entregue para a família.

Por Juliana Borges, G1 ES