Apostador não aparece e pode perder ‘bolada’ de R$ 22 milhões da Mega-Sena

Um apostador de São Sebastião, no litoral de São Paulo, tem menos de uma hora para retirar o prêmio de R$ 22 milhões que ganhou na Mega-Sena. Como o ganhador ainda não se apresentou à Caixa Econômica Federal, e o prazo encerra nesta sexta-feira (30), a possibilidade de perder a ‘bolada’ é o assunto na cidade.

Às 13h30, a Caixa Econômica Federal informou que ninguém havia se identificado como o ganhador – que tem até 16h como horário-limite para garantir um espaço entre os milionários.




A aposta foi premiada no concurso 2.074, sorteado no dia 1° de setembro, mas o apostador pode ficar sem o dinheiro se não retirar o prêmio. O prazo é de 90 dias a partir da data do sorteio.

Na casa lotérica em que a aposta foi feita, no Centro da cidade, foi colocada uma faixa para lembrar ao ganhador que ele tem direito aos R$ 22 milhões. “Esse é o prêmio maior que a gente já teve aqui. Tem pessoas que jogam no lixo bilhetes que vão correr ainda, conferem errado, o número do concurso errado, então tem ‘N’ situações “, disse José Carlos de Morais, proprietário da lotérica.

Entre os clientes do local o assunto é mesmo – falam em quem pode ser o ganhador ou o que pode ter motivado esse atraso para retirar o prêmio.

“Eu se fosse ele já tinha vindo pegar faz tempo essa grana boa aí. Já viria correndo pegar”, disse um apostador. “Eu acho que foi turista [o ganhador]. Se fosse da cidade já tinha vindo buscar o prêmio”, opinou outro cliente.

O sorteio foi feito em Santa Catarina e as dezenas sorteadas foram 08 – 18 – 23 – 37 – 42 – 58. Além do sortudo de São Sebastião, uma aposta de Passos (MG) também acertou os números. O apostador de Minas Gerais já retirou o prêmio.

Sorte

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada.

Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, como foi a do vencedor de São Sebastião, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Por G1 Vale do Paraíba e Região